Unidade 1: Mister Shopping 3º Piso
Unidade 2: Av. Rio Branco, 1718 – Centro
Segunda a sexta: 08h às 20h
Sábado: 08h às 12h

Setembro amarelo: mês de prevenção ao suicídio

O setembro amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio, criada pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Além disso, o setembro amarelo existe desde 2014 no Brasil e tem como objetivo dar maior visibilidade às doenças mentais e as causas do suicídio. Por isso, durante o mês de setembro, é usada a cor amarela em diversos lugares para gerar debates e momentos de reflexão sobre este tão delicado tema: o suicídio. 

De acordo com os dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2018, cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano. Dentre essas pessoas, mais de 90% sofre de distúrbios mentais, com destaque à depressão, doença que possui tratamento por meio de auxílio psicológico e psiquiátrico. Assim, além da depressão, outros distúrbios que podem levar uma pessoa ao suicídio são: bipolaridade, esquizofrenia, ansiedade e o transtorno de personalidade. Entenda melhor a campanha do setembro amarelo:

O que é a depressão?

A depressão é um transtorno mental cuja principal marca é a perda de interesse em atividades que antes davam prazer à pessoa. Além disso, outros sintomas comuns são: sentimento de tristeza e receio, desânimo e tristeza intensa. De acordo com o Ministério da Saúde, existem alguns fatores de risco que podem ajudar na evolução da depressão, entre eles:

  • Histórico familiar;
  • Outros transtornos psiquiátricos;
  • Estresse crônico;
  • Ansiedade crônica;
  • Disfunções hormonais;
  • Dependência de álcool e drogas ilícitas;
  • Traumas psicológicos;
  • Doenças pré-existentes.

Quando uma pessoa reconhece os sintomas que podem indicar a existência de um quadro depressivo, deve procurar um psiquiatra e psicólogo para iniciar o tratamento da doença o mais rápido possível com remédios e terapia. Dessa forma, é possível evitar quadros mais graves e perigosos para a saúde e bem-estar do paciente. Em princípio, o psicólogo ajuda o paciente a criar estratégias de combate às questões emocionais enquanto o psiquiatra indica remédios que vão reduzir os sintomas da depressão. Saiba tudo sobre a consulta com o psicólogo. Desse modo, o psiquiatra vai escolher o melhor tratamento para seu paciente levando em conta diversos fatores, como: 

  • Subtipo da depressão apresentada pelo paciente;
  • Histórico familiar;  
  • Resposta a outros remédios já utilizados.

O tratamento com remédios deve estar aliado à terapia para dar uma maior segurança ao paciente. Por se tratar de uma doença psiquiátrica, a depressão muda a qualidade de vida emocional e física do paciente que a enfrenta, sendo que a mais grave consequência é o suicídio. Ou seja, ele costuma ocorrer quando a pessoa pensa que esta é a única forma de se livrar da tristeza que sente. Saiba tudo sobre a consulta com o psiquiatra.

Suicídio dá sinais

É importante saber que quando uma pessoa pensa em tirar a própria vida, ela emite alguns sinais, que podem passar despercebidos por muitas pessoas. Além disso, qualquer pessoa pode ter depressão e querer cometer suicídio, ou seja, não existe pessoas certas para isso. Por isso, é muito importante que todos saibam os principais sinais dessa doença.

Assim, estes sinais podem ser:

  • Falta de vontade de estar com outras pessoas ou de fazer coisas que antes gostava e fazia sempre;
  • Alteração repentina do comportamento;
  • Tratar de assuntos pendentes, despedir-se de pessoas ou fazer um testamento;
  • Mostrar muita calma com assuntos que antes traziam grande tristeza;
  • Comer ou dormir muito pouco;
  • Fazer ameaças de suicídio;
  • Usar drogas ou álcool com maior frequência e em excesso; 
  • Fazer coisas muito arriscadas (por exemplo, dirigir em alta velocidade).

Como prevenir o suicídio

A melhor forma de prevenção ao suicídio é a conversa e o conhecimento. Ou seja, falar sobre o assunto, dar apoio e auxiliar pessoas a procurar ajuda é um grande passo nessa luta. Dessa maneira, é possível acolher uma pessoa que esteja passando por esta situação. Além disso, um dos pontos do setembro amarelo é a defesa do “falar é prevenir”. Assim, quando uma pessoa percebe os sinais de que alguém possa estar pensando em suicídio, uma saída é mostrar que há outro meio. Por isso, deve incentivar a procura do psiquiatra e do psicólogo. 

Quando procurar o psicólogo?

De uma forma geral, é interessante que todas as pessoas façam terapia com o psicólogo para se conhecer melhor e, assim, ter uma vida mais saudável. No entanto, existem alguns sinais que mostram a necessidade mais imediata de começar um tratamento através da terapia. Estes sinais podem ser:

Mudanças de humor frequentes

É comum sentirmos várias emoções ao longo do dia. No entanto, se essas emoções são intensas ou difíceis de controlar, é preciso tomar cuidado. Por exemplo: se irritar facilmente com qualquer coisa, ser intolerante o tempo inteiro, entre outros. Por isso, caso a pessoa perceba que suas mudanças de humor estão afetando seu dia, deve procurar o psicólogo.

Dificuldade para dormir

Vez ou outra, é normal ter uma noite de insônia, principalmente em um dia de estresse. Entretanto, se for algo frequente e começar a prejudicar as atividades diárias, é importante marcar uma consulta com o psicólogo. Alguns transtornos mentais, como a ansiedade, costumam estar ligados a distúrbios do sono. Por isso, a dificuldade para dormir merece ser investigada.

Dificuldade em se livrar de um vício

Quando uma pessoa decide deixar de lado alguma prática ruim e não consegue, é preciso buscar ajuda. Afinal, muitos vícios funcionam como um remédio para um transtorno, como a depressão. Assim, a fim de deixar de lado o sofrimento ou angústia que a pessoa possui, encontram em substâncias a cura. Por exemplo: álcool, drogas e cigarros.

Alterações no apetite

Assim como em um vício, a perda ou aumento de apetite pode estar ligada a um transtorno. Por exemplo: comer demais pode indicar uma impulsão alimentar, ansiedade e até mesmo a depressão. Muitas pessoas também param de comer ao início de um quadro anoréxico, o que deve ser tratado com a terapia. Por isso, se a pessoa nota essa alteração, é importante procurar o psicólogo

É importante nunca ignorar um sintoma. Ao buscar o atendimento, é possível desde o início encontrar uma doença e tratá-la de forma rápida. Dessa maneira, evita-se que o problema se agrave e comprometa a saúde.

Como manter uma boa saúde mental

Existem algumas atitudes que podem ajudar na saúde mental. Assim, essas medidas são:

Pratique exercícios físicos

A prática de exercícios físicos contribui para o aumento da produção de endorfinas, substância natural produzida pelo cérebro que regula as emoções. Esta substância é responsável por reduzir o estresse e a ansiedade, além de diminuir as chances de a pessoa desenvolver um quadro depressivo.

Tenha uma alimentação equilibrada

Ter uma dieta equilibrada, composta por frutas, verduras, legumes, carnes magras e carboidratos complexos é muito importante para a saúde mental. Afinal, ela está relacionada com a saúde física. Assim, é importante evitar certos tipos de alimentos que podem gerar indisposição e cansaço. Por exemplo: gorduras, frituras e bebidas alcoólicas em excesso.

Mantenha relacionamentos saudáveis

Para manter uma boa saúde mental, é importante identificar e excluir relacionamentos tóxicos. Afinal, alguns desses relacionamentos podem desencadear uma série de transtornos mentais, como ansiedade e depressão. Assim, caso identifique este tipo de relacionamento e tenha dificuldade de apagá-lo, é importante buscar ajuda. 

Faça terapia

A terapia com o psicólogo é uma grande aliada para o autoconhecimento e uma boa saúde mental. Assim, é muito importante separar um tempo para a terapia. Afinal, através dela o paciente consegue conhecer razões de determinados pensamentos ou atitudes. Além disso, a terapia previne e trata um dos transtornos mentais mais comuns: a depressão.

A pandemia e a saúde mental

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), durante a pandemia em que vivemos, houve um aumento na taxa de sintomas de depressão e ansiedade. Igualmente, os dados de consumo de álcool e outras substâncias químicas (fator que agrava a depressão) também cresceu. Este aumento é efeito do isolamento social, da incerteza e da ansiedade que atingiu as pessoas.

Por isso, é ainda mais necessário que todos tentem entender sobre este problema mundial. Assim, poderão ajudar outras pessoas e até a si mesmos. Ademais, é muito importante que todos saibam como acessar os serviços de psicologia e psiquiatria. Acima de tudo, é preciso saber o seu intuito, para se prevenir contra distúrbios emocionais. Afinal, eles podem levar ao suicídio. Em resumo, esses são os principais objetivos da campanha mundial do setembro amarelo.

Policonsultas

Apesar do nome setembro amarelo a prevenção ao suicídio deve durar o ano todo! Precisa marcar uma consulta com um psiquiatra ou psicólogo? A Policonsultas tem uma equipe preparada para cuidar da sua saúde, além de realizar exames na própria clínica. Assim, conheça nosso corpo clínico aqui!

Agende seu atendimento:

Unidade 1: Mister Shopping 3º Piso.
Unidade 2: Av. Rio Branco, 1718 – centro

Deixe um comentário

WhatsApp Agende pelo WhatsApp