Unidade 1
Mister Shopping, 3º Piso
Segunda a sexta: 08h às 21h
Sábado: 08h às 12h

Unidade 2
Av. Rio Branco, 1718 – Centro
Segunda a sexta: 07h às 20h
Sábado: 08h às 12h

O que é o câncer e como evitá-lo?

Neste post você vai entender o que é o câncer e quais os tipos mais comuns e sua prevenção. Assim, navegue por categoria:

  • O que é um câncer?
  • Câncer de mama
  • Tudo sobre o câncer de próstata
  • Câncer colorretal
  • Como é o câncer de pulmão

O que é um câncer?

Para entender o que é um câncer é preciso saber como funciona o nosso organismo. O organismo humano é formado por milhares de células que trabalham de forma organizada. Assim,  elas crescem, se dividem, morrem e são substituídas de maneira controlada, em um processo natural. No entanto, quando o crescimento das células ocorre de forma descontrolada, gerando uma massa, surgem os tumores.

De acordo com a Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia, existem dois tipos de tumores: os benignos e os malignos. Os benignos são aqueles que não se multiplicam de forma tão rápida e não são capazes de migrar para outros tecidos. Assim, na maior parte dos casos, quando o paciente retira esse tumor já está curado. Por outro lado, quando a massa de células dá origem ao tumor maligno, é preciso ter cuidado. Isso porque os tumores malignos se multiplicam com rapidez e invadem as estruturas vizinhas. Ou seja, o tumor começa a se espalhar pelo corpo da pessoa. 

Por isso, quando uma pessoa tem sintomas que podem indicar um tumor, deve procurar um médico de forma rápida e realizar todos os exames que ele pedir. Afinal, quanto mais cedo o tumor for encontrado, maior a chance de sucesso no tratamento e de cura. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, os tipos mais comuns dessa doença no Brasil são: câncer de pulmão, câncer de mama, câncer de próstata, câncer colorretal e câncer de estômago.

Câncer de mama

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), dentre todos os casos de câncer no Brasil, a maior taxa de mortalidade entre as mulheres vem do de mama. De acordo com a última estimativa realizada pelo órgão, em 2020, esta doença representou quase 30% dos novos casos de câncer no país, e ocasionou mais de 16 mil óbitos. Apesar dos altos números, o diagnóstico precoce, junto ao tratamento, possibilita cerca de 95% de chance de cura. Entretanto, quando descoberto tardiamente, este número cai para 50%. 

O câncer de mama ocorre com a formação de nódulo (caroço) na extensão dos seios ou nas axilas. Apesar de não existir uma causa específica para o desenvolvimento da doença, a Sociedade Brasileira de Mastologia aponta alguns fatores associados ao risco de desenvolver esse tipo de câncer. Entre eles:

  • Menarca precoce;
  • Menopausa tardia;
  • Uso de terapia de reposição hormonal;
  • Obesidade e sedentarismo 
  • Fatores hereditários.

Prevenção ao câncer de mama

Muitas vezes, essa doença pode passar despercebido e silencioso, sem causar nenhuma dor ou desconforto na mulher. Por isso, é de extrema importância que as mulheres realizem sempre o autoexame nas mamas a fim de detectar a doença. Além disso, as mulheres devem realizar a mamografia todos os anos, a partir dos 40 anos de idade. Dessa forma, é possível identificar os tumores malignos, facilitando o tratamento e aumentando as chances de cura da doença.

Sinais que podem sinalizar o câncer de mama

No dia a dia e durante o autoexame nas mamas é necessário estar atento com os sinais que podem indicar a doença. Alguns desses indícios podem ser:

  • Inchaço em toda ou parte de uma mama (mesmo que não se sinta um nódulo).
  • Nódulo duro.
  • Irritação em uma parte da mama.
  • Dor na mama ou mamilo.
  • Inversão do mamilo.
  • Vermelhidão na pele.
  • Inchaço na pele.
  • Sangue nos mamilos.

Na presença de algum desses sinais, a mulher deve procurar um ginecologista ou mastologista o mais rápido possível. No entanto, é importante lembrar que muitas vezes surgem nódulos benignos nos seios. Ou seja, o simples aparecimento de um desses sinais não deve causar desespero, mas precisa ser investigado por um especialista.

Câncer de próstata

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino localizada abaixo da bexiga. Assim, é responsável por produzir parte do líquido seminal, que protege os espermatozóides. No entanto, a partir dos 45 anos de idade, esta glândula pode aumentar de tamanho e apresentar tumores.

Os tumores evoluem de forma diferente nos homens. Assim, existem casos graves em que os tumores podem inclusive se expandir para a estrutura óssea do paciente. Por outro lado, podem ter evolução lenta e não causar grandes problemas. De acordo com o Instituto Vencer o Câncer, existem alguns fatores de risco para o câncer de próstata. Entre eles:

  • Idade- É o principal fator de risco. Ou seja, quanto maior a idade do homem, maior é o risco de desenvolver o câncer. Assim, homens com mais de 50 anos estão no grupo de risco.
  • Histórico familiar- Possuir parente de primeiro grau que teve o câncer aumenta em duas vezes a chance de desenvolver a doença.
  • Raça- Homens negros têm mais risco de desenvolver tumores mais agressivos.
  • Alimentação- Dietas pobres em fibras, frutas e vegetais podem aumentar o risco. Além disso, é ideal evitar gorduras e frituras.
  • Obesidade- Alguns estudos mostram que homens obesos têm mais risco de desenvolver o câncer.

Sinais que podem indicar o câncer de próstata

No dia a dia é necessário estar atento para os sinais que podem indicar o câncer de próstata. Assim, alguns desses sintomas podem ser:

  • Dificuldade ou dor para urinar – Como a próstata está localizada perto da bexiga, o aparecimento de um tumor pode causar estas características.
  • Dor ou sangramento no ânus;
  • Inchaço nas pernas;
  • Pele amarelada;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor pélvica;
  • Falta de ar e tosse – Em casos raros os tumores podem chegar aos pulmões.

Na presença de algum desses sinais, o homem deve procurar um urologista o mais rápido possível. No entanto, é importante lembrar que muitas vezes nódulos benignos surgem na próstata. Além disso, os sinais podem aparecer devido ao aumento natural desta glândula. Na consulta, o médico vai solicitar exames para estudar a situação. O incentivo pela prevenção para obter o diagnóstico precoce é exatamente o objetivo do novembro azul.

tudo-sobre-urologista-1

Câncer colorretal

Este câncer acontece quando há um crescimento desordenado de células que atingem parte do intestino  grosso, conhecida como cólon, e no final do intestino, o reto. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a maior parte dos tumores desse câncer têm origem nos pólipos, que são pequenas lesões na parede interna do intestino grosso. Assim, na maioria dos casos, a doença tem tratamento e cura, desde que encontrada de forma rápida. Ou seja, antes que se espalhe para outras regiões do corpo.

Apesar dessa doença atingir diversas pessoas, existem grupos de risco para esta doença. São eles:

  • Histórico de câncer na família;
  • Excesso de peso ou obesidade;
  • Idade igual ou acima de 50 anos;
  • Consumo de alimentos processados;
  • Tabagismo;
  • Ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Doenças inflamatórias do intestino.

Sinais que podem indicar o câncer colorretal

No dia a dia é necessário estar atento para os sinais que podem indicar esta doença. Assim, alguns desses sintomas podem ser:

  • Sangue nas fezes ou fezes finas;
  • Dor abdominal;
  • Perda de peso repentina;
  • Mudança repentina no intestino;
  • Constipação;
  • Diarreia;
  • Anemia;

É importante nunca ignorar um sintoma. Ao buscar o atendimento, é possível desde o início encontrar uma doença e tratá-la de forma rápida. Dessa maneira, evita-se que o problema se agrave e comprometa a saúde. Na consulta, o médico vai solicitar exames para estudar a situação. 

Câncer de pulmão

Ocorre a partir de um tumor maligno que se instala no pulmão e é comum em pessoas que fumam, matando muitas pessoas por ano. Assim como nos outros tipos de câncer, é importante estar a atento aos principais sintomas:

  • Falta de ar;
  • Tosse constante;
  • Cansaço sem esforço;
  • Infecções respiratórias frequentes;
  • Dor ou chiado no peito;
  • Rouquidão;
  • Presença de sangue ao tossir;

Os tratamentos podem incluir quimioterapia, radioterapia, medicamentos e até mesmo a cirurgia. Assim, é muito importante que o paciente converse com o médico para saber qual o tratamento indicado.

Policonsultas

Precisa marcar uma consulta? A Policonsultas tem uma equipe preparada para cuidar da sua saúde, além de realizar exames na própria clínica.

Conheça nosso corpo clínico aqui!

Deixe um comentário

WhatsApp Agende pelo WhatsApp